sábado, 13 de fevereiro de 2010

Leis brasileiras - SE APROVADAS - impedirão o Evangelho no Brasil‏???




Olá pessoal...

Saudações em Cristo Jesus.

Recebi um e-mail de um pastor amigo sobre o que está tramitando no governo com relação a igreja. Mas ao contrário da reação de muitos, não fiquei apavorado, pra ser sincero, fiquei pensando que essas leis poderiam de uma vez por todas fazer uma "limpa" na igreja nacional.

E neste post, vou colocando os motivos pelos quais me fizerem ter essa esperança. Desejo não estar exagerando, e ainda mais estar de pé após tanta perseguição.... por isso caso não concorde, por favor comente.

Shalom!

Abaixo segue o texto do e-mail que recebi com comentários, estes meus comentários estarão em negrito azul:


“Pois eu não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego.” - Romanos 1:16

LEIS QUE TRAMITAM EM BRASÍLIA CONTRÁRIAS À IGREJA PRINCIPALMENTE EVANGÉLICAS. NOSSOS DEPUTADOS NA CAMARA FEDERAL ESTÃO LUTANDO CONTRA. POR FAVOR LEIAM, OREM, INTERCEDAM E REPASSEM PARA TODOS SEUS AMIGOS!!!


'Mas olhai por vós mesmos, porque vos entregarão aos concílios e às sinagogas; e sereis açoitados, e sereis apresentados perante presidentes e reis, por amor de mim, para lhes servir de testemunho. E sereis odiados por todos por amor do meu nome; mas quem perseverar até ao fim, esse será salvo.' - Marcos 13:9 e 13


A Bíblia diz que no fim dos tempos os filhos de Deus serão perseguidos e odiados. Veja aqui abaixo algumas leis brasileiras, que, SE APROVADAS, impedirão a nossa ação à favor do Evangelho no Brasil:


· Será proibido fazer cultos ou evangelismo na rua (Reforma Constitucional) Na china e também é, porém lá também é onde o evangelho mais cresce.
· Cultos somente com portas fechadas (Reforma Constitucional) idem para o comentário que fiz acima acrescido do seguinta, que existem vários relatos na Bíblia que apontavam para isso, porém isso nunca impediu o evangelho de crescer.
· As igrejas serão obrigadas a pagarem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições. Isso seria justo, não entendo porque os pastores tem tanta preocupação com isso, pois a grande parte do dinheiro ofertado ou dizimado, não é em prol do pobre, da viuva ou do orfão e, e sim para esbanjarem com templos cada vez maiores e luxuosos, sem falar de seus carros e casas enquanto que o rebanho fica em segundo plano.
· Programas evangélicos na televisão apenas uma hora por dia. Depois de tantas baboseiras que ouvimos e vemos na TV onde até brigas de pastores e denominações são constantes, essa lei seria uma benção. Não entendo como os crentes de hoje conseguem ver TV.
· Pastor só poderá fazer programa de televisão, se tiver faculdade de 'jornalismo'. Essa é estranha, pois já foi aprovado que nem jornalistas precisam mais cursar uma faculdade. na verade eles precisariam fazer um curso de Bíblia e oração mesmo.
· Será considerado crime pregar sobre espiritismo, feitiçaria e idolatria, e também veicular mensagem no rádio, televisão, jornais e internet, sobre essas práticas contrárias a Palavra de Deus. O que Jesus nos ordenou pregar? Cristo e este cruscificado é suficiente. Pregue Cristo, e isso transformará pessoas. Se você for preso por isso, segundo a Palavra de Deus, voc~e é um bem aventurado!
· Pastores que pregarem sobre dízimos e ofertas, dependendo do número de reclamações, serão presos. Pra ser sincero estou pensando em apoiar essa, pelo motivo que citei um pouco acima. Pra que tantos dízimos e ofertas se a liderança só aplica em paredes e em si mesmas?
· Pastores que forem presos por pregar sobre práticas condenadas pela Bíblia Sagrada (homossexualismo, idolatria e espiritismo), não terão direito a se defender por meio de ação judicial. Quem sabe agora ficaremos só com os pastores de verdade, e nos livraremos dos profissionais?
· Igrejas que não realizarem casamento de homem com homem e mulher com mulher, estarão fazendo 'discriminação', poderão ser multadas e os pastores processados. vejo que os fiéis voltarão a se reunirem em casas, túmulos, lugares secretos, e será o fim do monopólio e comercio aberto que se treansformaram as reuniões dominicais. Fim dos "coronéis"
· Querem que o dia do 'Orgulho Gay' seja oficializado em todas as cidades brasileiras.. Um país que tem dias especiais para idolatria o que se poderia esperar? E detalhe, a igreja aproveita muito bem essas feriados com retiros, saídas, descanso.... até carnaval ela sai da cidade e vai acampar.

Reforma Constitucional – Mudanças no texto da Constituição que garantem a liberdade de culto. Se aprovadas, fica proibido culto fora das igrejas (evangelismo de rua), cultos religiosos só com portas fechadas.
Projeto nº 4.720/03 – Altera a legislação do 'imposto de renda' das pessoas jurídicas.
Projeto nº 3.331/04 – Altera o artigo 12 da Lei nº 9.250/95, que trata da legislação do imposto de renda das 'pessoas físicas'Se convertidos em Lei, os dois projetos obrigariam as igrejas a recolherem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições.
Projeto nº 299/99 – Altera o código brasileiro de telecomunicações (Lei 4.117/62).Se aprovado, reduziria programas evangélicos no rádio e televisão a apenas uma hora.
Projeto nº6.398/05 – Regulamenta a profissão de JornalistaContém artigos que estabelecem que só poderá fazer programas de rádio e televisão, pessoas com formação em JORNALISMO, Significa que pastores sem a formação em jornalismo não poderão fazer programas através desses meios.
Projeto nº 1.154/03 – Proíbe veiculação de programas em que o teor seja considerado preconceito religioso.Se aprovado, será considerado crime pregar sobre idolatria, feitiçaria e rituais satânicos. Será proibido que mensagens sobre essas práticas sejam veiculadas no rádio, televisão, jornais e internet. A verdade sobre esse atos contrários a Palavra de Deus, não poderá mais ser mostrada.
Projeto nº 952/03 – Estabelece que é crime atos religiosos que possam ser considerados abusivos a boa-fé das pessoas.Convertido em Lei, pelo número de reclamações, pastores serão considerados 'criminosos' por pregarem sobre dízimos e ofertas.
Projeto nº 4.270/04[/b] – Determina que comentários feitos contra ações praticadas por grupos religiosos possam ser passíveis de ação civil.Se convertido em Lei, as Igrejas Evangélicas ficariam proibidas de pregar sobre práticas condenadas pela Bíblia Sagrada, como espiritismo, feitiçaria, idolatria e outras. Se o fizerem, não terão direito a se defender por meio de ação judicial.
Projeto de nº 216/04[/b] – Torna inelegível a função religiosa com a governamental.Significa que todo pastor ou líder religioso lançado a candidaturas para qualquer cargo político, não poderá de forma alguma exercer trabalhos na igreja.
Existem outros projetos em andamento que ferem princípios bíblicos, entre eles:
Casamento de homens com homens e mulheres com mulheres.
Estabelecer um dia oficial do 'Orgulho Gay' em todas as cidades brasileiras, entre outros.

Divulguem isto para seus irmãos em Cristo!!! Passe para pastores das igrejas que vocês conhecem, para que todos estejam cientes, para não colocarmos ímpios no poder, e perder nosso direitos como pregadores da verdadeira Palavra
de Deus!


Vou divulgar sim, não com o intuito de fazer um movimento de protestos com cunho político, e sim para que todos reflitam sobre os prós e contras do que esta por vir...

Será que essas leis de fato impediriam o evangelho de crescer no Brasil, ou seriam leis que impediriam dos charlatões e profissionais continuarem cometendo seus crimes contra a Palavra de Deus?

Reflita

3 comentários:

  1. Meu irmão, algumas dessas reformas são é benção.
    Tirando os lance dos feriados, orgulhos e parecidos, a maioria é benção. Algumas sem sentido.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com a maioria das reformas! Se essas reformas forem aprovadas, quero ver como que as instituições vão se manter nos seus impérios de religiosidade!
    Jesus disse que Ele edificaria a igreja, e tenho plena certeza de que ela não seria edificada com tijolos, cimento e argamassa !

    ResponderExcluir
  3. hahaha... nenhuma igreja VERDADEIRA vai permitir casamento de pessoas do mesmo sexo.

    ResponderExcluir